Como responder à imprensa burguesa

SÁBADO, MARÇO 01, 2008
Como responder à imprensa burguesa

GRUPO INTEGRALISTA DA GUANABARA - GIG

Fundado em 11 de Maio de 2005

[email protected]

Como responder à imprensa burguesa.

Uma orientação.

Companheiros!

É inquestionável que os meios de comunicação impressos, particularmente, a chamada “grande imprensa”, move uma feroz campanha de desinformação sobre o Integralismo, veiculando todo tipo de inverdades, calúnias, fantasias, inverossimilhanças, etc., acerca do Movimento Integralista.

Ora, é evidente que seria um absurdo tentarmos processar todos esses órgãos de (de)formação da opinião pública, tanto pela impraticabilidade de tal ato em si, quanto pela clara postura demo-liberal do Poder Judiciário, com a conseqüente infiltração de sua estrutura não só pelo próprio liberalismo, mas, também pelo marxismo e outras ideologias estrangeiras e internacionalistas, que não deixariam passar a oportunidade de ouro de prejudicar a única e autêntica Doutrina genuinamente nacional, o Integralismo, dando ganho de causa aqueles periódicos.

Então, devemos deixar passar em brancas nuvens todos os ataques malévolos da imprensa burguesa ao Integralismo? Não. Obviamente, não. Toda e qualquer agressão da mídia impressa ao Movimento Integralista deve ser revidada, e todo Camisa-Verde é chamado a cumprir o seu dever impugnando o erro, através de correspondência diretamente dirigida ao órgão jornalístico hostil.

Nas linhas subseqüentes iremos expor algumas orientações básicas de como responder de forma eficiente a esses nossos detratores:

1º - Responda tão logo tome conhecimento do artigo, reportagem, nota, etc., adverso ao Integralismo. Não demore em replicar, pois, quanto maior o tempo entre a matéria e a sua resposta, menor o impacto dela sobre a redação do periódico e, portanto, menor a probabilidade de publicação da mesma.

2º - É imperativo evitar-se o uso de linguagem raivosa e ofensiva, seja ao órgão de imprensa visado, seja ao jornalista, editorialista ou articulista responsável. Cartas grosseiras são contraproducentes e acabariam por depor contra o Integralismo. Seja extremamente polido no seu texto e faça mesmo alguns elogios pró-forma, por exemplo, “notável jornal”, “magnífica revista”, “brilhante jornalista”, etc.

3º - As matérias que tratam de Integralismo são totalmente tendenciosas, pouca relação guardando com a Verdade. Assim, é comum que o artigo, reportagem ou o que for, contenha inúmeros absurdos, que nos revoltam e nos deixam indignadíssimos. Todavia, procure fugir da tentação de querer responder a totalidade do texto, de replicar todas as mentiras, pois, ao tentar retorquí-lo em sua inteireza certamente escreverá uma Carta imensa que não será publicada de jeito nenhum, e talvez nem seja lida pelo redator do periódico. Por conseguinte, deve-se escolher um ou dois pontos, aqueles os mais revoltantes, para objeto da Carta. Ao limitar o enfoque da abordagem, obtêm-se simultaneamente uma redação enxuta e um conteúdo preciso. Lembre-se que outros Companheiros também escreverão Cartas, e que provavelmente destacarão aqueles pontos de que você não tratou, logo, você não precisa preocupar-se com eles.

4º - Seja objetivo, sucinto. Tenha em mente que você está escrevendo uma Carta, não um tratado, um livro, um discurso. É apenas uma Carta, uma Carta importantíssima, mas, ainda assim, uma Carta. Uma Carta que será enviada a um periódico, podendo eventualmente até ser publicada, e pensando nisso ela deve ser concisa. Não se perca em divagações, trate com clareza o tema ou temas que você elegeu.

5º - Jamais diga que está falando em nome do Movimento. O Integralismo têm os seus Organismos Oficiais, que se manifestarão, se preciso for, no momento adequado.

6º - Mesmo identificando-se como Integralista, não dê a impressão de participar de uma campanha orquestrada, seja o mais original e espontâneo possível.

7º - Mantenha informado o Núcleo Integralista do qual você faz parte, enviando-lhe cópia da Carta, bem como da própria matéria que suscitou sua iniciativa.

Companheiros, o Integralismo lentamente está construindo seus próprios veículos para formação e informação de uma opinião pública realmente esclarecida e revolucionária, pois, não podemos mais permitir que o Povo Brasileiro continue sendo enganado por uma mídia completamente controlada pelo capitalismo financeiro internacional. Mas, enquanto não cobrimos o Brasil com uma Rede de Periódicos Integralistas, urge que cada um de nós cumpra a sua parte no restabelecimento da verdade sobre o Integralismo, escrevendo aos periódicos burgueses e reacionários todas as vezes que a Doutrina do Sigma for injuriada.

Pelo Bem do Brasil!

Anauê!

Sérgio de Vasconcellos

Grupo Integralista da Guanabara - GIG

[email protected]

Companheiro! Não deixe de conhecer o Portal dos Núcleos Integralistas do Estado do Rio de Janeiro - NIERJ: http://www.integralismorio.org/

15 Visualizações